Pai, protege-me pois nasci mulher!

23:58


Photo of Sara Winter

Não sei nem ao certo por onde começar, este é um assunto que me revolta, que mexe comigo e de certa forma me deixa completamente triste. Nasci mulher, e ao que parece o maior perigo para mim e outras mulheres é esse mesmo: ter-mos nascido mulheres. Eu não sou nenhuma sexista, e seu bem que existem homens que passam pelo mesmo que nós mulheres passamos e acreditem ninguém o deveria passar, mas infelizmente isto é uma realidade que acontece diariamente por baixo do nosso nariz, na porta ao lado, ou mesmo dentro da nossa casa. E muitas vezes sem sequer termos noção disso. Hoje foi sem dúvida a noite em que me senti completamente desprotegida e sem saber o que fazer. Ao longo dos anos, sempre se ouvia um ou outro piropo estúpido, comentários de pessoas mais velhas como "olha como ela se veste?", "que vestido mais curto", "que top mais decotado", "olha as horas a que ela chega a casa", entre muitos outros comentários sem noção, para além disso já cheguei sim a ser abordada mas nada que uma boa resposta não pusesse a pessoa no lugar. Mas hoje, hoje foi diferente. Hoje eu senti medo, hoje eu senti-me fraca, hoje eu senti medo por ser mulher. Fui perseguida, assediada, tratada como se qualquer uma fosse, sem o mínimo de respeito por um homem que teria o dobro da minha idade, e porquê? Também não sei.
Todos os dias faço o mesmo caminho, apanho as mesmas camionetas para voltar para casa após o trabalho e até hoje nada me tinha acontecido, sempre cheguei bem, e hoje também cheguei bem, mas poderia nem ter chegado, e tudo porque eu nasci mulher. Eu ainda estou em pânico e enquanto que as palavras vão saindo e vão aparecendo na tela do ecrã eu só penso no que teria sido de mim se aquele outro senhor não tivesse descido na mesma paragem que eu e não me tivesse ajudado a pôr aquele imbecil no lugar, eu só penso onde eu estaria agora e como estaria. Sempre me tentei convencer a mim mesma que eu não tinha de viver com medo, que eu sou totalmente independente e que não é as roupas que visto nem o facto de ser mulher que me fazem vulgar, inferior ou que dão o direito a quem quer que seja de me tratar sem respeito algum. Mas a realidade é que o mundo ainda não pensa assim, e ainda existe muita gente que acha que qualquer mini-saia é suficiente para se ser “uma puta”, ou que qualquer vestido justo e curto é motivo para sermos assediadas e tratadas sem respeito. Nasci mulher, numa sociedade onde só fazem aquilo que os homens querem. Nasci com o fardo da proibição e do medo. E eu só queria que ter nascido mulher não fosse um fardo tão grande assim.. 

You Might Also Like

0 comentários

Press